Locais selecionados em Jerusalém

O Monte das Oliveiras é um local sagrado tanto para os judeus quanto para os cristãos. “Depois de cantarem o salmo, saíram para o Monte das Oliveiras.” (Mateus, 26:30).*

 

 

Muitos eventos ocorreram ali durante a semana da Paixão de Cristo. O Jardim do Getsêmani, onde Jesus passou as suas últimas horas rezando antes de ser preso, se encontra ao pé da montanha: “Chegaram a uma propriedade chamada Getsêmani. Jesus disse aos discípulos: “Sentai-vos aqui, enquanto eu vou orar”. (Marcos, 14:32). Para chegar lá, Jesus cruzou o Vale do Cedron: “...Jesus saiu com seus discípulos para o outro lado da torrente do Cedron. Lá haviaum jardim, no qual ele entrou com os seus discípulos.” (João, 18:1).

Há várias igrejas espetaculares neste local sagrado. A Igreja Pater Noster, chamada assim em nome da reza que Jesus ensinou aos seus discípulos: “Vós, portanto, orai assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome..." (Mateus, 6:9-13), a Igreja de Dominus Flevit (O Senhor chorou): “Quando Jesus se aproximou de Jerusalém e viu a cidade, começou a chorar...” (Lucas, 19:41), e a Basílica da Agonia, também chamada de Igreja de Todas as Nações, onde se encontram mosaicos magníficos representando a Agonia de Jesus. De acordo com a tradição, a Rocha da Agonia está dentro da igreja.

A Gruta da Agonia não se encontra longe do Túmulo da Virgem Maria, e a Igreja de Santa Maria Madalena. E perto do topo do Monte das Oliveiras se encontra a Capela da Ascensão: “Depois de dizer isto, Jesus foi elevado, à vista deles, e uma nuvem oretirou aos seus olhos.”(Atos 1:9).

O Monte Zion é o lugar de alguns eventos muito importantes no evangelho, incluindo a Última Ceia, a Instituição da Eucaristia e o Pentecostes. Foi no aposento superior neste complexo, ou o Coenaculum, onde “...tomou o pão, deu graças, partiu-o e lhes deu, dizendo: “Isto é o meu corpo, que é dado por vós. Fazei isto em memória de mim”. 20 Depois da ceia, fez o mesmo com o cálice, dizendo: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue, que é derramado por vós.” (Lucas, 22:19-20).

 

 

A igreja de São Pedro em Gallicantu foi construída na casa do grande sacerdote Caifás: “Os que prenderam Jesus levaram-no à casa do sumo sacerdote Caifás, onde estavam reunidos escribas e os anciãos” (Mateus, 26:57), e marca o fato de Pedro ter negado a Jesus depois desse ter sido preso: “Mas ele negou: “Mulher, eu não o conheço!” (Lucas, 22:57). O Monte Zion é também o local da Abadia da Dormição, onde a Santa Maria entrou em “sono eterno”, e da Tumba de Davi.

O Muro das Lamentações e o Túnel do Muro das Lamentações, as mesquitas da Cúpula da Rocha e Al-Aqsa estão entre os sítios mais especiais da Cidade Santa de Jerusalém.

O Tanque de Betesda foi onde Jesus curou um enfermo no sábado: “Jesus lhe disse:“Levanta-te, pega a tua maca e anda.” No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou sua maca e começou a andar. Aquele dia, porém, era um sábado” (João, 5: 8-9).

Talvez o ponto alto de toda peregrinação seja honrar a Paixão de Cristo e andar pela Via Dolorosa, o caminho do sofrimento, que foi a rota andada por Jesus a caminho do calvário: “Carregando a sua cruz, ele saiu para o lugar chamado Calvário (em hebraico: Gólgota). “Lá, eles o crucificaram com outros dois, um de cada lado, ficando Jesus no meio.” (João, 19:17-18). As últimas cinco estações das 14 estações pela Via Dolorosa estão na Igreja do Santo Sepulcro, o lugar da crucificação e ressurreição de Jesus.

 

 

O Mosteiro da Cruz é um mosteiro robusto, construído como uma fortaleza – de acordo com a tradição – onde ficava a árvore que forneceu a madeira para a cruz na qual Jesus foi crucificado: “...Eles o mataram, suspendendo-o no lenho da cruz” (Atos, 10:39).

Yad Vashem, a autoridade na memória dos heróis e dos mártires do holocausto é o memorial de Israel para as vítimas do holocausto nazista. Honrar as seis milhões vítimas do holocausto é uma forma de expressar a necessidade de preservar as memórias e agir de acordo com os valores que irão evitar que tais eventos bestiais aconteçam novamente. Yad Vashem também é uma lembrança constante da facilidade com a qual a raça humana pode se afundar na profunda escuridão de uma crueldade incompreensível.

Yad Vashem convida os seus visitantes para estudar este capítulo da história e se aproximarem dos seis milhões cujo direito básico à vida foi negados somente por serem judeus. Os seus sonhos e esperanças não puderam ser realizados, mas o visitante adiciona o seu nome ao compromisso coletivo de nunca esquecer e nunca deixar que isto aconteça novamente.

 

 

Ein Carem, para o sudoeste de Jerusalém é famosa pela Igreja da Visitação, que marca a visita de Santa Maria a Santa Isabel, e a Igreja de São João Batista, que marca o nascimento de São João. “Naqueles dias, Maria partiu apressadamente se a uma cidade de Judá. Ela entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel” (Lucas 1:39-40).* Um incrível achado arqueológico foi descoberto perto de Ein Caram: a Caverna de João Batista, no Kibutz Tzuba.

* Todas as citações foram tiradas da bíblia da CNBB.

Informação sobre os Lugares Sagrados em Israel no nosso site: www.goisrael.com