Andando pela Trilha do Evangelho - Parte II

Esse é o nosso último dia, e alguns dos mais fascinantes sítios e vistas ainda estão à nossa frente.

Com o cruzamento de Golani e Kibutz Lavi já para trás, a Trilha do Evangelho continua através de um terreno pedroso, que logo se tornará campos dourados de safras. Isso nos lembra da história de Jesus e seus discípulos colhendo grãos no sábado (Marcos 2:23) - e é por isso que essa área é chamada do campo de trigo.

A cada passo pelo caminho o cenário muda, fornecendo uma rápida sucessão de algo que é, literalmente, vistas incríveis. Aproximamos-nos do Monte Arbel com seu colossal rochedo subindo para o leste. O desfiladeiro de Nahar Arbel abaixo de nós dirige-se para as costas do Mar da Galileia e a Galileia Superior ao norte, com a antiga cidade de Zefat, no topo de um monte distante.

Excitados por nos sentirmos tão conectados às histórias de Jesus e seus discípulos, tomamos a trilha mais ambiciosa no Cruzamento de Arbel, subindo o rochedo de Arbel com a sua vista espetacular de toda a região do Mar da Galileia. Depois de chegar ao topo fazemos um intervalo, absorvendo a vista e gozando do silêncio que convida à oração e à meditação.

Depois continuamos na Estrada 87 para o Monte das Bem-Aventuranças, o local que a tradição acredita que foi onde Jesus fez o Sermão da Montanha.  Depois de chegar a esse local nós vivenciamos uma calma especial que nos permite invocar o espírito do grande Sermão da Montanha: 
“Felizes os pobres no espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Felizes os que choram, porque serão consolados. Felizes os mansos, porque receberão a terra em herança.” (Mateus 5:1-5).

Profundamente emocionados, terminamos a Trilha do Evangelho chegando a Cafarnaum (Kfar Nahum), onde a trilha termina. As palavras de Jesus estarão para sempre conectadas a nós fisicamente, e enraizadas nos nossos corações, pois vimos os lugares reais onde Jesus andou, ensinou e viveu.

Trinha do Evangelho no Facebook