Shavuot

Celebrarás a festadas Semanas no início da colheita do trigo, e a festa da Colheita no fim do ano. (Êxodo 34.22)

Shavuot (literalmente, semanas), um dos três festivais judaicos de peregrinação (junto com a Páscoa e Sucót), marca o recebimento da Torá (os cinco livros de Moisés) no Monte Sinai. Esta festa é celebrada exatamente sete semanas depois do primeiro dia da Páscoa, que marca o êxodo em si.

Uma festa fundamentalmente agrícola, Shavuot é também chamada a Festa da Colheita e a Festa dos Primeiros Frutos com é referida em Números 28:26 e Êxodo 23:16, respectivamente), comemorando o costume de fazer oferendas no Templo Sagrado das primeiras frutas da colheita (Deuteronômio 26:1-11) e dos primeiros aninais nascidos nos rebanhos (Números 28:26-31). O aspecto agrícola da festa foi retido mesmo depois da destruição do Templo Sagrado: entre os símbolos desta festa estão as sete espécies com as quais a terra de Israel é abençoada - trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e tâmaras.

Shavuot está também conectada ao livro bíblico de Rute. Rute foi uma antepassada do Rei Davi, que faleceu em Shavuot. Como Rute se converteu ao judaísmo, ela aceitou ativamente a Torá, como o fez o povo judeu no Monte Sinai. Além disso, a história descrita no Livro de Rute se passa durante a colheita do trigo, por volta da época de Shavuot.

Na noite de Shavuot costuma-se comer laticínios. Depois da festiva ceita, muitos judeus religiosos seguem a tradição consagrada pelo tempo de estudar a Torá durante a noite toda, na sua sinagoga local. Então eles fazem a oração matinal na hora mais cedo permitida, simbolizando o entusiasmo do povo judeu por receber a Torá.

As orações matinais de Shavuot são marcadas por hinos especiais e leituras das escrituras, incluindo o Livro de Rute. Algumas comunidades decoram as suas sinagogas com plantas verdes e flores, refletindo as tradições que o Monte Sinais era m montanha verde e que Shavuot é o dia do julgamento para as árvores frutíferas.